10 de julho de 2013

Nova ferramenta da Embrapa gera mapas de risco ambiental


Nova ferramenta da Embrapa gera mapas de risco ambiental

Fonte: Embrapa

ARAquáGeo é o nome dado a uma importante evolução do software ARAquá, que está em desenvolvimento na Embrapa Gestão Territorial.


Pensado para avaliar, em sólida base técnico-científica, situações de risco de agrotóxicos ao meio ambiente, o ARAquáGeo será capaz de trabalhar dados georreferenciados permitindo que programas de geoestatística e sistemas de informação geográfica (SIG) gerem mapas de risco ambiental.

O ARAquáGeo é uma ferramenta para a gestão territorial da contaminação de recursos hídricos, capaz de estimar as concentrações de agrotóxicos, e outros contaminantes, em corpos d’água superficiais e subterrâneos.Para o pesquisador e gerente geral da Embrapa Gestão Territorial, Cláudio Spadotto, o software ARAquáGeo é para ser utilizado na avaliação e no gerenciamento agro-ambiental de agrotóxicos,  permitindo o planejamento douso desses produtos e a minimização dos seus riscos ambientais.

Muito utilizados na agricultura, os agrotóxicos tem a finalidade principal de controlar pragas, doenças, plantas daninhas e garantir a produtividade agrícola. Porém, depois de aplicados em áreas agrícolas, seu comportamento é bastante complexo podendo atingir a atmosfera, o solo, as águas e diversos organismos.

É neste contexto que surge o ARAquáGeo. O aplicativo simula, de maneira georreferenciada, o risco de contaminação numa determinada área, permitindo que a mesma seja mapeada.

Segundo Wilson Holler, analista de geoprocessamento da Embrapa Gestão Territorial, o ARAquáGeo é o único aplicativo com modelo matemático, desenvolvido para as condições brasileiras e que também leva em conta a localização geográfica. “Ele permitirá que as estimativas do risco de contaminação sejam facilmente incorporados a programas de geoestatística e SIG, para a geração de mapas da área que está sendo avaliada”, completa Wilson

Copyright © CarbonoBrasil - Os direitos são reservados, porém é livre a reprodução para instituições
sem fins lucrativos, desde que o autor e a fonte sejam citados com o link para o original.

Seguidores