9 de setembro de 2013

Fundo Setorial de Biotecnologia tem cinco editais abertos pelo CNPq


Recursos do Fundo Setorial de Biotecnologia (CT-Biotec) estão disponíveis em cinco chamadas públicas com inscrições abertas até o início de setembro. Operados pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), os editais envolvem bioeconomia, engenharia de sistemas biológicos, saúde animal, agrobiodiversidade vegetal e problemas ambientais.

 Lançada em 24 de junho, no Palácio Itamaraty, a chamada 26 integra o programa de cooperação entre o CNPq e a Organização Holandesa para Pesquisa Científica (NWO). O edital busca apoiar projetos de melhoramento de cultivares e produtos de agropecuária, horticultura e aquicultura; biorrefinarias; biorremediação; desenvolvimento de enzimas com aplicação na indústria de alimentos; e produtos e ferramentas biotecnológicas com aplicação em saúde animal. As inscrições ficam abertas até 6 de setembro.

 A chamada 27 apoia propostas de bioprodutos ou bioprocessos aplicados à produção de vacinas recombinantes para prevenção de zoonoses em animais. O edital dá preferência a pesquisas que contemplem a prevenção de raiva, leishmaniose, brucelose, leptospirose e toxoplasmose.

Voltada à engenharia de sistemas biológicos, a chamada 28 estimula projetos em áreas de fronteira do conhecimento, como genomas inteiramente novos, modificação de rotas metabólicas, desenvolvimento de novas moléculas e novas metodologias diagnósticas, além da formação de recursos humanos para atuar na indústria nacional de biologia sintética, engenharia de bioprocessos, nanobiotecnologia e enzimas para digestão de celulose.

Alimentos e meio ambiente

Projetos de pesquisas que envolvam açaí e juçara, caju, guaraná, jabuticaba e umbu podem concorrer à chamada 29. A meta é usar a agrobiodiversidade vegetal para direcionar melhorias de qualidade, uniformidade e durabilidade de produtos in natura e desenvolver novos alimentos, cosméticos e fármacos.

Já a chamada 30 incentiva a elaboração de produtos e processos biotecnológicos, por biolixiviação e biorremediação, para minimizar ou solucionar problemas ambientais causados pela atividade humana, como resíduos industriais, domésticos, agropecuários, provenientes de mineradoras, da produção de petróleo e derivados, da indústria pesqueira e do tratamento de esgoto e águas superficiais, subterrâneas e residuais, entre outros.

As chamadas 27, 28, 29 e 30 têm inscrições abertas até 10 de setembro.

Seguidores