25 de abril de 2013

Pesca fantasma é responsável por danos nos recifes e captura contínua de animais

Funcionários do Coral Vivo realizam ação voluntária para retirada de rede de pesca

Pesca fantasma é responsável por danos nos recifes e captura contínua de animais

Na última sexta-feira, dia 22 de março, a equipe do Coral Vivo que realizava a devolução de corais (utilizados para pesquisas com reprodução) no recife da praia de Araçaípe, em Arraial d’Ajuda (BA), encontraram uma grande rede de pesca presa. Esse tipo de problema acarretado pelo abandono ou descarte de apetrechos utilizados para a pesca no mar é conhecido como “pesca fantasma”. Os impactos e prejuízos causados nos ambientes recifais, aos peixes, tartarugas e até aves, são muitos, como por exemplo, quebra de corais e alteração do solo marinho e captura contínua de peixes, tartarugas e até aves.
Preocupados com os estragos que essa rede abandonada poderia gerar, a equipe se prontificou a realizar a retirada do material, evitando assim mais degradação e morte de animais marinhos. Voluntariamente, Camila Vieira (monitora), Edmilson da Conceição (monitor), Jemilli C. Viaggi (voluntária) e Gabriele Lopes (gerente Operacional) foram até o recife no fim da tarde do mesmo dia, após o horário de expediente e no horário de maré baixa. Toda a rede, que estava sobre uma colônia de coral-de-fogo (Millepora alcicornis) foi, então, removida.
A pesca fantasma é uma ameaça porque, mesmo sem o pescador, os equipamentos continuam ‘pescando’. A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) afirma que os equipamentos abandonados ou perdidos constituem cerca de 10% (640 mil toneladas) dos resíduos marinhos”, explica Gustavo Duarte, biólogo e coordenador Executivo do Coral Vivo.
É muito bom contar com uma equipe tão comprometida e entusiasmada assim! Parabéns a todos! Vocês fazem a diferença!

Seguidores