25 de abril de 2013

 

 

Coral Vivo

Monitoramento de grama marinha no Sul da BA

Estudantes do Proex Coral Vivo fazem pesagem das amostras.

O Projeto Coral Vivo realizou mais um monitoramento de gramas marinhas (protocolo Seagrass) no Parque Municipal Marinho do Recife de Fora, em Porto Seguro (BA), entre os dias 18 e 19 de fevereiro de 2012. Os dados mostram que houve uma redução do banco de gramas, principalmente na parte mais profunda. Essa redução, no entanto, faz parte de um processo natural e periódico de contração e expansão desse banco ao longo do ano.

É provável que essa redução tenha ocorrido devido à diminuição do aporte de nutrientes no verão. Com isso, as gramas têm maior dificuldade de se desenvolverem e acabam reduzidas à uma área mais próxima à do recife (área mais rasa). Com as chuvas e o aumento do carreamento de nutrientes do Rio Buranhém em direção ao Recife de Fora, as gramas voltam a ter um desenvolvimento maior e o banco se expande novamente.

As gramas marinhas são angiospermas (plantas com flores), mais próximas dos lírios e gengibres do que efetivamente das verdadeiras gramas, que crescem nos ambientes costeiros tropical. Os bancos de gramas marinhas são importantes elos entre os manguezais e recifes do coral, contribuindo para o desenvolvimento de suas espécies. Assim como os manguezais, são importantes áreas de aporte, processamento de sedimentos e formam uma ligação entre o ambiente marinho e o terrestre. No entanto, o banco de gramas fica no leito marinho, diferente do mangue que fica na foz dos rios.

Seguidores