26 de agosto de 2013

Bahia terá investimento de R$ 2 bi em 28 projetos de energia eólica



A Bahia foi o grande destaque na venda de projetos de energia eólica (foto) no quinto leilão de energia de reserva realizado ontem pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), na cidade de São Paulo. Dos 66 projetos contratados, o estado vendeu 28, contabilizando mais R$ 2 bilhões em investimentos somente na energia gerada pela força dos ventos. No total, a Bahia ostenta carteira de investimentos em projetos no valor de R$ 8,5 bilhões.
"Somos o único estado do Nordeste que vendeu projetos nos leilões dos últimos quatro anos. Quanto mais leilões acontecerem, mais o potencial baiano vai se destacar como um dos melhores do mundo porque temos os melhores ventos do Brasil", comemorou o secretário da Indústria, Comércio e Mineração, James Correia.

Suprimento – O leilão, que aconteceu na sede da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), proporcionou a venda de energia proveniente de parques eólicos em contratos com duração de 20 anos e início de suprimento previsto para 1° de setembro de 2015. O preço de R$ 110,51 por megawatt-hora foi o mais alto registrado nos últimos leilões.

Ao todo, os contratos fechados irão movimentar R$ 13 bilhões, envolver 118.428.660 megawatt-hora e viabilizar novos empreendimentos de geração de energia na Bahia, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Ceará.

Liderança – Com desempenho cada vez mais agressivo no setor, a Bahia tem atualmente 87 projetos contratados com o total de 2,2 gigawatts de capacidade instalada. "Este é mais um passo dado pela Bahia em busca da liderança do setor eólico brasileiro", disse o governador da Bahia, Jaques Wagner.
No leilão, a Bahia vendeu em quantidade e em capacidade instalada. Os leilões de energia de reserva acontecem para assegurar a venda de energia destinada a aumentar a segurança de fornecimento do sistema nacional de eletricidade.
A energia de reserva é proveniente de usinas especialmente contratadas para este fim, seja em leilões de novos empreendimentos de geração ou de empreendimentos existentes.
 
Parque industrial de equipamentos
Com os 87 projetos de usinas eólicas em seu território, a Bahia está se consolidando também como grande parque industrial de equipamentos para o setor. A empresa espanhola Gamesa anunciou investimentos de R$ 100 milhões na ampliacão de sua fábrica em Camaçari. A nova unidade vai passar a fabricar naceles (caixa do rotor do aerogerador) com capacidade instalada de 400 megawatts/ano. A nova linha de produção deve entrar em operação no início de 2015.
Já a francesa Alstom e a Renova Energia anunciaram parceria para a construção de parques eólicos no estado, com capacidade de geração de 1.200 megawatts. A operação representa investimentos da ordem de R$ 2,5 bilhões e duplicação da produção da fábrica baiana.
 
Fabricação de pás e geradores
A empresa brasileira Tecsis, líder mundial na fabricação de pás e geradores, com investimentos previstos de R$ 200 milhões e a geração inicial de 1,8 mil empregos diretos, vai fabricar pás e geradores para abastecer os mercados interno e externo na unidade em construção no município de Camaçari.

O estado ganhou recentemente uma fábrica de torres metálicas para turbinas eólicas, instalada também no Polo Industrial de Camaçari. A Torrebras, empresa do grupo espanhol Daniel Alonso, investiu aproximadamente R$ 30 milhões no empreendimento, que irá gerar 300 empregos diretos, com estimativa de faturamento anual de R$ 120 milhões.


FONTE: DIARIO OFICIAL DO ESTADO DA BAHIA

Seguidores