8 de fevereiro de 2012

ENERGIA SOLAR NA BAHIA


Depois da energia do vento (eólica), agora é a energia solar que começa a se desenvolver na Bahia. No último fim de semana, o Diário Oficial do Estado publicou a licença do projeto do grupo Enel Green Power em Xique-Xique, no semiárido baiano, com capacidade de produzir cinco megawatts de energia através de painéis fotovoltaicos (solares). Comparativamente, no Ceará, a usina MPX, já em operação, tem capacidade para um megawatt. O grupo Enel já possui investimentos em energia eólica na Bahia, onde está implantando cinco parques de energia movida pelo vento com potência instalada de 146,4 megawatts nos municípios de Igaporã e Morro do Chapéu. Com a licença ambiental, agora o projeto aguarda do governo federal a realização de leilão para energia solar. O governo da Bahia atua junto ao governo federal para que essa fonte possa ser introduzida na matriz elétrica brasileira. O projeto de Xique-Xique junta-se à usina do Estádio Governador Roberto Santos (Pituaçu), que está em construção será o primeiro estádio solar do país, disse o secretário da Indústria, Comércio e Mineração, James Correia. Segundo dados da Sicm, outras empresas de energia solar prospectam na Bahia e apontam para mais de um gigawatt de projetos em análise no estado. O potencial solar baiano é um dos maiores do Brasil e, assim como a energia eólica, pode trazer importantes ganhos, porque o estado tem as regiões de maior incidência solar em zonas que precisam de investimentos e oportunidades, explicou o secretário-executivo da Câmara de Energia da Sicm, Rafael Valverde. De olho nesse potencial, a Bahia já possui indústrias e empresas especializadas em equipamentos solares em processo de implantação. Dentre elas, destacam-se os grupos Viv (Portugal), Agnys (Brasil), Gehrlicher Ecoluz (Alemanha-Brasil) e Donauer (Alemanha).


Seguidores