18 de março de 2015

Com apoio da OPAS, Brasil divulga lista de municípios em situação de risco para dengue

País tem 340 cidades em situação de risco para dengue. Levantamento também mostra que 877 cidades estão em situação de alerta. Estudo serve para orientar ações de controle.
Crédito da foto: Anthony Érico Guimarães/Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz)
Crédito da foto: Anthony Érico Guimarães/Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz)
O ministro da Saúde brasileiro, Arthur Chioro, divulgou na última quinta-feira (12) o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), instrumento utilizado para orientar ações de controle da dengue e chikungunya. Os dados mostram que 340 municípios brasileiros estão em situação de risco para a ocorrência de epidemias, 877 estão em alerta e 627 municípios apresentam índice satisfatório. A coletiva de divulgação dos dados contou com a presença do representante da Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil (OPAS), Joaquim Molina.
No total, 1.844 municípios brasileiros realizaram o levantamento de forma coordenada, entre janeiro e fevereiro deste ano, um significativo aumento na adesão de 26,38% em relação ao numero de municípios participantes do ano de 2014 (1.459 municípios).
O LIRAa é considerado um instrumento orientador das ações de controle da dengue e do chikungunya. O levantamento identifica as áreas com maior numero de focos de reprodução do mosquito transmissor das doenças (Aedes aegypti) fornecendo o Índice de Infestação Predial – porcentagem de imóveis que possuem criadouro com a larva do vetor – e os tipos de recipientes que caracterizam os criadouros.
Os indicadores resultantes da pesquisa fornecem informações qualificadas para atuação das prefeituras nas ações de prevenção e controle da dengue e do chikungunya, permitindo uma abordagem de enfrentamento multissetorial.
Compuseram a mesa da coletiva, além do ministro da Saúde e do representante da OPAS, a secretária substituta de Vigilância em Saúde, Sônia Brito; o secretário executivo do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), Jurandi Frutuoso; o representante do Conselho Nacional de Secretárias Municipais de Saúde (CONASEMS), Homero Nepomuceno Duarte; o diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, Cláudio Maierovitch Pessanha Henriques; e o coordenador-geral do Programa Nacional de Controle da Dengue, Giovanini Evelim Coelho.
Durante a apresentação, Giovanini Evelin Coelho destacou a importância da cooperação técnica da OPAS no processo de ampliação da Rede Laboratorial do Chinkungunya. Além dos dados do LIRAa, foram apresentados dados epidemiológicos da dengue e chikungunya e ações do Ministério da Saúde de reforço ao enfrentamento dessas doenças. Um destaque foi a baixa no numero de óbitos por dengue nos últimos anos, apesar de um aumento no número de casos. Clique aqui para ver os casos notificados de dengue e aqui para os casos graves e óbitos por unidade da federação.
Neste contexto de enfrentamento da dengue e do chikungunya, a OPAS mantêm um Termo de Cooperação Técnica com o Ministério da Saúde visando à prevenção e controle no contexto da Estratégia de Gestão Integrada. Entre os objetivos específicos estão o fomento da implementação do manejo integrado de vetores nos estados e municípios e o fortalecimento da vigilância entomológica.

TEXTO EXTRAIDO DO SITE NACOESUNIDAS.ORG

Seguidores