4 de novembro de 2013

Tartaruga rara é vista por banhistas em tentativa de desova no sul da BA


Fêmea pertence à maior espécie de tartarugas existentes, diz especialista.
 

Animal pode chegar a dois metros de comprimento e pesar até 700kg

Do G1 BA

Tarturaga rara encontrada em Corumbau na Bahia (Foto: Adriana Massa Regina Marchetti Moraes / Arquivo Pessoal)Tartaruga rara encontrada na Bahia (Foto: Adriana Massa Regina Marchetti Moraes / Arquivo Pessoal)
 
Uma tartaruga-de-couro foi encontrada em Ponta do Corumbau, na "Costa do Descobrimento", município de Prado, extremo sul da Bahia. A espécie, que é muito rara, foi vista por banhistas que passavam pelo local na segunda-feira (21). O animal foi localizado fazendo movimentos na areia e depois voltou ao mar. Na manhã da terça (22), a tartaruga retornou à praia, mas não houve desova.

Segundo o Projeto Amiga Tartaruga (PAT Ecosmar), a tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea) é a maior de todas e pode chegar a dois metros de comprimento e 1,5m de largura, pesando até 700kg. Segundo os especialistas, não há dados exatos do tempo de vida de uma tartaruga-de-couro, mas estíma-se que possa chegar a 60 anos.

A PAT Ecosmar informou que nessa época acontece a temporada de desova. Somente na noite da quarta-feira (23) foram monitoradas quatro desovas de outras espécies. Também foram registrados ninhos de tartaruga-de-couro em outros pontos de Prado e no município de Belmonte, no sul baiano.

De acordo com o especialista Paolo Botticielli, essa foi a primeira vez que a fêmea foi avistada. Outras
 já passaram por Ponta do Corumbau com algumas cicatrizes. O último registro de tartarugas dessa espécie, segundo ele, ocorreu em 2012, quando 27 delas foram avistadas em Valença.

De acordo com a PAT Ecosmar, apesar das duas tentativas, a fêmea ainda não desovou. Dados de monitoramentos de fêmeas da mesma espécie mostram que elas costumam realizar de nove a 11 subidas por temporadas, fazendo ninhos de até 27km e distância entre um e o outro.

O projeto Tamar de Vitória (ES), estado que faz divisa com o sul da Bahia, solicitou aos responsáveis pela pousada que fica em frente ao local onde a tartaruga apareceu, que isolassem o ninho para evitar que pessoas pisem. Voluntários da PET Ecosmar monitoram  toda a costa por onde a tartaruga passou, de Canavieiras até Prado para acompanhar a desova da tartaruga.

Seguidores