5 de junho de 2012

terceiro número da revista eletrônica do ICMBio
 
O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade acaba de lançar o terceiro número de sua revista científica eletrônica, a Biodiversidade Brasileira, que trata da avaliação do estado de conservação dos mamíferos ungulados (que têm cascos nos pés) brasileiros. As onze espécies de ungulados reconhecidas no país incluem os veados, porcos selvagens e a anta, o maior mamífero terrestre brasileiro.
A revista apresenta os resultados consolidados da oficina de avaliação do estado de conservação dessas espécies, ocorrida em novembro de 2010, que contou com a presença de diversos especialistas da comunidade científica, posteriormente revisados em sistema duplo cego garantido pelo processo editorial.
O risco de extinção de cada espécie foi determinado de acordo com a metodologia da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN). As espécies são categorizadas em diferentes graus de ameaça a partir de informações principalmente sobre sua distribuição geográfica e tamanho populacional, considerando reduções no passado, tendências futuras e conjunto de ameaças.
As espécies são tratadas individualmente nos artigos, que trazem as categorias do risco de extinção, as justificativas, além de informações gerais, como distribuição, habitat, ecologia, dados populacionais, ameaças, presença em unidades de conservação, entre outras.
A situação dos ungulados no Brasil é preocupante. Das onze espécies, seis estão em alguma categoria de ameaça e apenas duas foram classificadas como não ameaçadas. Outras duas foram classificadas como “dados insuficientes”, isto é, não existem informações disponíveis sobre as espécies para avaliar seu risco de extinção.
Por serem animais de grande porte, uma ameaça comum a quase todas é a caça. A destruição do habitat e a consequente fragmentação e isolamento das populações também foi identificada como séria ameaça.
Para algumas espécies de mais ampla distribuição, há a avaliação por bioma, em função das diferentes formas e intensidades de pressão em cada um, o que resulta também em diferentes orientações para a conservação. Os resultados apresentados subsidiarão a atualização da lista nacional de espécies ameaçadas de extinção, a ser publicada pelo Ministério do Meio Ambiente.
SERVIÇO:
Para acessar o terceiro número da revista Biodiversidade Brasileira, clique aqui.
Comunicação/ICMBio
(61) 3341-9280

 

Seguidores