8 de junho de 2012

PLÁGIO

VEJAM QUE ABSURDO!!!!!!!!!!!!




Porto Sul: Casa Civil diz ter corrigido trechos 'sem aspas e sem
referências' de estudos ambientais suspeitos de plágio

A coordenadoria de Infraestrutura da Casa Civil do Estado da Bahia
emitiu nota nesta quinta-feira (7) em que afirma já ter corrigido os
trechos “sem aspas e sem referênciasâ€� encontrados nos estudos de
impactos ambientais para licenciamento das obras do Porto Sul, em
Ilhéus, no sul baiano. Nesta quarta-feira (6), o Ministério Público
Federal iniciou as investigações das suspeitas de plágio nos
documentos apresentados pela empresa Hydros, que assina o Estudo de
Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) das
obras. O MPF acionou o Ibama e a Polícia Federal para investigar as
suspostas irregularidades. Segundo a Casa Civil, “diversos
profissionais formam o corpo técnico da empresa consultora e de outras
contratadas. Todos estes consultores têm responsabilidade técnica
aferida nos órgãos de classe e nas instituições acadêmicas.â€� O
comunicado também informa que a equipe técnica goza de qualificação e
prestígio no meio acadêmico da Bahia, “pois é formada por
profissionais com larga experiência e responsabilidade técnica, e em
grande parte professores universitários e profissionais senioresâ€�,
justifica.



Quinta, 07 de Junho de 2012 - 17:00
Porto Sul: Empresa responsável por elaboração de estudos ambientais
rebate acusação de suposto plágio

Foto: Divulgação / Secom
A Hydros Engenharia e Planejamento, empresa contratada para elaborar
os Estudos de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental
(EIA/Rima) para implantação do Porto Sul, em Ilhéus, sul da Bahia,
afirma que procedeu a “citação de todos os autores e referências
bibliográficas utilizadas no relatórioâ€� apontado pelo Ministério
Público Federal como suspeito de prática de plágio. Segundo nota
emitida pela empresa, a suposta irregularidade “aponta apenas para
trechos do Diagnóstico da Atividade Pesqueira, mais especificamente o
Estudo dos Perfis das Embarcações do Município de Ilhéus[...]. O
responsável pela elaboração do estudo foi o Instituto do Conhecimento
(Icon), contratado pela Bahia Mineraçãoâ€�. “A incorporação deste estudo
aos trabalhos do Consórcio Hydro-Orienta ocorreu em razão da
unificação dos processos de licenciamento do terminal de uso privativo
da Bahia Mineração com o do porto público, aprovada pelo IBAMA em
junho/2011.â€�, argumenta a Hydros. “Considerando nota técnica do Ibama,
de 02.02.12, o Consórcio realizou nova formatação do texto e procedeu
revisão das citações e referências bibliográficas utilizadas,
contempladas nos estudos complementares a serem entregues ao Ibama.�,
justificou. Também em nota, a Casa Civil do Estado da Bahia alegou que
os trechos "sem aspas e sem referências" identificados no documento já
teriam sido corrigidos.



Seguidores