20 de abril de 2012

Inscrições para o seminário sobre o Vale do São Francisco

Inscrições para o seminário sobre o Vale do São Francisco serão encerradas nesta sexta


O Instituto Geográfico e Histórico da Bahia promove, gratuitamente, entre os dias 25 e 26 de abril de 2012, das 14h às 18h, o Seminário O VALE DO SÃO FRANCISCO E SUAS POTENCIALIDADES. Coordenado pelo engenheiro civil Manoel Bomfim Ribeiro, o objetivo é discutir e propor alternativas para o desenvolvimento da bacia do Velho Chico.
Durante o encontro, especialistas renomados como Jorge Khoury, João Alves, Maria Higina Nascimento e Waldec Ornelas, irão debater temas como a Transposição do Rio São Francisco: impactos econômicos, sociais e ambientais; Agricultura Familiar, potencialidade energética, assoreamento e Cenários futuros da Bacia do Rio São Francisco.
A inscrição segue até o dia 20 de abril e deve ser feita pelo e-mail seminario@ighb.org.br com o assunto SEMINÁRIO SÃO FRANCISCO. Informações no tel. 71 3329 4463 ou no site www.ighb.org.br



Apoio: Secult, Chesf, Codevasf, A Tarde, TVE, Embasa



Saiba mais:
O rio São Francisco tem aproximadamente 2.800 km de extensão (de sua nascente, na serra da Canastra (MG), até a foz, no Pontal do Peba (AL) e a praia do Cabeço (SE). Tem uma vazão média, de longo termo, de cerca de 2.800 m³/s. A área de sua bacia é de aproximadamente 640.000 km².
Existem em sua bacia cerca de 504 municípios, 97 dos quais em suas margens. A população estimada no interior de sua bacia é de cerca de 14 milhões de habitantes.
A população da bacia lança seus esgotos in natura na calha do rio, não só esgotos urbanos, mas industriais e os provenientes da mineração.
A vegetação natural da bacia está sendo desmatada para o fabrico do carvão. Estima-se um consumo, pelas siderúrgicas mineiras, de cerca de 6 milhões de toneladas de carvão vegetal por ano. 40% desse volume são oriundos das matas nativas da região; 75% das matas nativas da região já viraram carvão. 95% das matas ciliares da bacia já não existem mais;
O São Francisco é um rio de múltiplos usos. Estudos realizados apontam um potencial irrigável, em sua bacia, de cerca de 3 milhões de hectares.Entretanto, as vazões existentes no rio e as características dos solos de sua bacia, só permitem a irrigação de uma área de cerca de 1 milhão de hectares;
Estudos recentes apontam para uma diminuição volumétrica no São Francisco de cerca de 35% nos últimos cinqüenta anos;
Programação completa:
25 DE ABRIL DE 2012
13h – Credenciamento
13h50 – Abertura Oficial: Consuelo Pondé de Sena – presidente do IGHB Manoel Bomfim Ribeiro – coordenador do seminário
14h – Palestra: Transposição do Rio São Francisco: impactos econômicos, sociais e ambientais (Jorge Khoury)
14h50 – Palestra: Serviços Ambientais e Sociais do Rio São Francisco (Roberto Malvezzi
15h40 – Debate
16h00 – Intervalo
16h15 – Palestra: Agricultura Familiar na Região do São Francisco (Maria Higina do Nascimento)
17h10 – Palestra: Irrigação no Vale do São Francisco – CODEVASF
17h50 – Debate e encerramento
26 DE ABRIL DE 2012
14h – Palestra: A potencialidade energética do São Francisco – CHESF
14h50 – Palestra: O Nordeste e a Transposição do Rio São Francisco (João Suassuna)
15h40 – Debate
16h00 – Intervalo
16h15 – Palestra: Cenários futuros da Bacia do Rio São Francisco (Waldeck Ornelas)
17h10 – Palestra: O assoreamento do Rio São Francisco (João Alves)
17h50 – Debate e encerramento


fonte:http://www.cultura.ba.gov.br/2012/04/17/inscricoes-para-o-seminario-sobre-o-vale-do-sao-francisco-serao-encerradas-nesta-sexta/


Seguidores