26 de junho de 2012



Ibama devolve cerca de 400 aves apreendidas à natureza na Bahia Imprimir
Salvador (20/06/2012) – Cerca de 400 aves foram soltas na natureza na Bahia, na região de caatinga, semi-árido. As aves haviam sido resgatadas na região de Feira de Santana, no ultimo mês de maio, durante uma operação realizada pela Polícia Militar na “feirinha da Estação Nova”, naquele município. Elas foram encaminhadas pelos policiais ao Centro de Triagem de Animais Silventres (Cetas) Chico Mendes logo após o término da operação, onde foram identificadas, receberam tratamento médico veterinário e avaliadas como aptas ao retorno a natureza.

O processo de preparação para o retorno à vida selvagem ocorreu em uma área de preservação ambiental. Segundo o analista ambiental Josiano Torezani, responsável técnico pelo trabalho de readaptação das aves à natureza, “os pássaros foram levados para a área de soltura escolhida pela equipe do Cetas, localizada no município de Ribeira do Pombal, no dia 04/06. Lá, foram soltos no viveiro de descanso e aclimatação, receberam água e alimentação e foram soltos no dia 06/06, no horário da manhã”.

Os pássaros que retornaram à natureza eram das espécies: cardeal, papa-capim, papa-capim-de-peito-branco, papa-capim-de-cruz, azulão, brejal, caboclinho, chorão, canário-da-terra, tiziu, ferreirinha, tico-tico-rei, tico-tico, papa-arroz, sabiá laranjeira, sabiá branca, sanhaço-cinzento, saíra-amarela, sofrê, cuiubinha, rolinha-caldo-de-feijão, cancã, chapéu-de-couro, guriatã e cambacica. “Após os trabalhos do Ibama, desde o início do ano, através de ações de fiscalização, soltura de aves e educação ambiental, uma boa parte da população de Ribeira do Pombal está engajada na preservação ambiental, onde os moradores do entorno da área de soltura de aves proíbem a caça e apanha de animais silvestres”, comentou Josiano.

Ele cita como exemplo dessas atitudes de respeito por parte da população local, o caso de um casal de canários que foram anilhados e soltos em abril desse ano. “Eles resolveram nidificar numa caixinha em cima de gaiola velha a qual está a muito tempo vazia, mas ficava ainda pendurada na casa. Os moradores da casa evitam chegar perto para que os pássaros possam ter seus filhotes com tranquilidade e ainda podem curtir o som harmonioso e totalmente livre dos canários. Isso prova que é possível você ter os pássaros cantando para você sem ser necessário aprisioná-los em uma gaiola”, conclui.

Carlos Garcia
Ascom - Ibama/BA
Foto: Ibama/BA

Seguidores