11 de janeiro de 2013

Bahia Pesca incentiva criação de ostras em cativeiro
 
As ostras, tão apreciadas no verão baiano, não servem apenas como iguaria servidas em bares e restaurantes do estado. Graças ao projeto de cultivo de ostras em cativeiro da Bahia Pesca, empresa vinculada à Seagri, os moluscos estão levando mais renda e alimento para dezenas de marisqueiras e pescadores. A ação da empresa atende 20 famílias nas comunidades de Graciosa (em Taperoá), no distrito de Iguape (em Cachoeira) e em Aratuípe.

Os moluscos são retirados do fundo dos estuários ainda pequenos, na chamada fase de semente. Depois são colocados em gaiolas presas por cordas e bóias, onde vão se alimentar e crescer até 12 centímetros. De acordo com o subgerente de maricultura da Bahia Pesca, José Sanches Júnior, os moluscos se alimentam através da filtração da água e não provocam nenhum tipo de alteração no meio ambiente.

“Como o cativeiro fica no ambiente onde as ostras vivem, a fonte de alimentação é natural. Os criadores não precisam gastar com ração. A Bahia Pesca fornece todos os equipamentos e faz visitas de assistência técnica para acompanhar o trabalho”, explica o subgerente. A Bahia Pesca faz ainda o controle de qualidade das ostras.

O projeto produz anualmente 12 mil dúzias de ostras. O objetivo agora é que os pescadores que participam da criação ganhem autonomia e se tornem autossuficientes, atraindo outras famílias para participar do projeto.

Fonte:
Ascom Bahia Pesca

Seguidores