10 de maio de 2012

PORTO SUL

Reuniões destacam importância   da implantação do Porto Sul

Lideranças políticas, empresariais e comunitárias são informadas sobre detalhes do projeto


O governo da Bahia está promovendo, esta semana, reuniões preparatórias para audiências públicas voltadas à apresentação do Relatório de Impacto Ambiental (EIA-Rima) do Porto Sul e do projeto do empreendimento. As audiências estão agendadas para o período de 28 deste mês a 2 de junho, em Itacaré, Uruçuca, Itabuna, Itajuípe, Coaraci e Barro Preto, municípios na área de abrangência do empreendimento.


Além de apresentar o projeto a lideranças políticas, empresariais e comunitárias, as reuniões realizadas nas seis cidades mobilizam a sociedade organizada para as audiências públicas. Ao encontro de Itabuna, ocorrido na Câmara de Vereadores, na tarde da última terça-feira, compareceram, aproximadamente, 150 pessoas.



Em outubro de 2011, a audiência pública, no Centro de Convenções de Ilhéus, reuniu 3.700 pessoas, e foi considerada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) uma das maiores realizadas pelo órgão em todo o Brasil.


Expectativa – Segundo o coordenador de Articulação Social da Secretaria estadual de Relações Institucionais (Serin), Roque Peixoto, as reuniões nos municípios esclarecem sobre o projeto e ampliam a mobilização para as audiências públicas. "As reuniões têm sido bastante representativas, o que demonstra o interesse da comunidade pelo projeto e cria ótima expectativa para as audiências públicas."



Ambientalista e presidente do Grupo de Resistência às Agressões ao Meio Ambiente (Grama), Walmir do Carmo disse que os encontros servem para que a comunidade conheça o projeto do Porto Sul em toda a abrangência. "A obra é muito importante para a região por causa das garantias de que os impactos ambientais sejam compensados. Nesse processo, é fundamental a participação da sociedade organizada."


Cidadãos conhecem dimensão do empreendimento


Como afirma a professora Marta Maria dos Santos, ao tomar consciência do projeto, o cidadão passa a acompanhar todo o processo de implantação do empreendimento. "Itabuna e região só têm a ganhar com o Porto Sul". O presidente da Associação Comercial e Industrial de Itabuna e coordenador estadual da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira, Eduardo Fontes, disse que as audiências são fundamentais para dar transparência ao processo, "mas esperamos que a obra seja agilizada com a obtenção do licenciamento do Ibama."


Para o diretor da Faculdade de Ciência e Tecnologia em Itabuna, Cristiano Lobo, o governo da Bahia está oferecendo a oportunidade para que se possa conhecer o projeto do Porto Sul e o processo de licenciamento. Já o presidente da Câmara Municipal de Itabuna, Ruy Machado, afirmou que as reuniões preparatórias e as audiências públicas permitem que todos os segmentos da sociedade tomem conhecimento da dimensão do Porto Sul e do impacto positivo para o desenvolvimento regional.


Além do Porto Sul, serão implantados a Ferrovia de Integração Oeste-Leste, um novo aeroporto e a duplicação da rodovia Ilhéus-Itabuna. Os investimentos para implantação do Porto Sul são da ordem de R$ 2,4 bilhões, com a geração de, aproximadamente, 2.500 empregos diretos e indiretos na fase de construção.


INDÚSTRIA NAVAL

Secretário se reúne com representantes de Portugal

O crescimento da indústria naval e portuária na Bahia e como a comunidade empresarial portuguesa poderá ajudar e participar para fomentar o desenvolvimento do setor. Esses foram os assuntos discutidos ontem, no encontro do secretário da Indústria Naval e Portuária da Bahia, Carlos Costa, com o cônsul geral de Portugal na Bahia, Manuel Lomba, e o presidente da Câmara Portuguesa na Bahia, Antônio Coradinho. "Essa ponte entre a Bahia e Portugal pode nos proporcionar grande incremento na nossa economia, já que nosso país irmão dispõe de vasto conhecimento e tecnologia na área naval e portuária", disse Costa.

FERROVIA
Governo discute desapropriações da Fiol com presidente da Valec

Acompanhar o andamento das desapropriações para a construção da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol). Com essa finalidade, o secretário da Casa Civil do governo da Bahia, Rui Costa, se reuniu com o presidente da Valec, Eduardo Castello Branco, ontem, em Brasília (DF).

Segundo o presidente da Valec, após a visita do governador Jaques Wagner, da ministra Miriam Belchior, do Planejamento, e de Paulo Sérgio Passos, ministro dos Transportes, ao canteiro de obras da Fiol, em Jequié, no mês passado, o ritmo das desapropriações foi acelerado. Um acordo prevê mais celeridade nos processos.

O convênio será assinado pelo governo baiano e o presidente da estatal, no dia 23 deste mês, em Ilhéus. Para o ato, além de representantes do Estado e da Valec, serão convidados os prefeitos dos municípios que fazem parte do traçado da obra.



Seguidores