27 de março de 2015

Brasil - avanços em pesquisas hidroceanográficas científicas.

Navio de Pesquisa Hidroceanográfico Vital de Oliveira é entregue ao Brasil

Cerimônia em Cingapura marcou a incorporação à Marinha do Brasil. A compra do navio resulta de acordo entre o MCTI, o Ministério da Defesa, a Petrobras e a Vale.
 
 
Texto da Ascom do MCTI
 
 

O Brasil deu um passo importante nesta semana em direção a avanços em pesquisas hidroceanográficas científicas para caracterização física, química, biológica, geológica e ambiental de áreas oceânicas estratégicas do Atlântico Sul.

O Navio de Pesquisa Hidroceanográfico Vital de Oliveira foi entregue à Marinha do Brasil no dia 24/03/2015, em cerimônia de batismo realizada no cais de Keppel Marine, em Cingapura. O evento foi presidido pelo chefe do Estado-Maior da Armada, almirante-de-esquadra Wilson Barbosa Guerra, e contou com a participação de autoridades civis e militares.

Adquirida em 2013 por aproximadamente R$ 162 milhões, a embarcação é fruto do acordo de cooperação firmado entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o Ministério da Defesa (MD) e as empresas Petrobras e Vale.

Segundo o coordenador para Mar e Antártica do MCTI, Andrei Polejack, o navio é uma das cinco melhores plataformas de pesquisa hidroceanográfica do mundo. A França, o Japão, a China e a Rússia são alguns dos países que possuem embarcações semelhantes. No Hemisfério Sul, apenas a Austrália tem uma equivalente.

"O Vital de Oliveira está equipado com o que há de mais avançado em termos de tecnologia, permitindo o acesso à parte geológica e biológica para experimentações e retirada de amostras", diz Polejack, ao acrescentar que embarcação permitirá ao País realizar pesquisas em águas brasileiras e internacionais.
Um dos equipamentos já disponíveis é o veículo de operação remota (ROV, na sigla em inglês), que pode atuar a uma profundidade de 4 mil metros. Cinco laboratórios, sendo dois molhados e três secos, também integram a embarcação.

A obtenção do Vital de Oliveira terá reflexo direto na ampliação da geração de conhecimento sobre o ambiente marinho na região do Atlântico Sul, no desenvolvimento de tecnologias e inovação em produtos e serviços, na redução da vulnerabilidade e dos riscos decorrentes de eventos extremos e das mudanças climáticas sobre a zona costeira e na formação de recursos humanos ligados à pesquisa científica marinha.

Testes e viagem 

Construído pelo estaleiro Guangzhou Hantong Shipbuilding and Shipping Co. Ltd., na cidade de Xinhui, na Republica Popular da China, a embarcação passou pela fase de testes, adequações técnicas e instalação de equipamentos em Cingapura. A embarcação deve iniciar a viagem rumo ao Brasil em maio, após passar por novos testes na Indonésia. A previsão é chegar ao País em julho deste ano.

O nome do navio foi estabelecido em homenagem ao capitão-de-fragata Manoel Antonio Vital de Oliveira, morto na Guerra do Paraguai em 2 de fevereiro de 1867, no bombardeio a Curupaiti, a bordo do Monitor Encouraçado Silvado, do qual era comandante.

Fonte: MCTI, com informações do Ministério da Defesa

Seguidores