7 de fevereiro de 2014

Tartaruga surge entre peixes mortos na ilha

Tartaruga surge entre peixes mortos na ilha

Franco Adailton*

  • Lúcio Távora | Ag. A TARDE
    Animais mortos foram coletados e enterrados por pescadores na areia da praia

Um dia depois de A TARDE publicar reportagem sobre a mortandade de peixes na praia de Aratuba, na Ilha de Itaparica (Grande Salvador), pescadores locais coletaram cerca de 80 quilos de peixes na areia da praia, onde uma tartaruga também foi encontrada morta nesta quinta-feira, 6.

Sem razão aparente, exemplares de variadas espécies e tamanhos têm aparecido mortos ou agonizantes, nos últimos 11 dias, conforme informou o presidente da Associação de Pescadores de Aratuba, Antônio de Brito, 54 anos, conhecido como Cotia.

Entre as espécies encontradas, as mais frequentes são barbeiro, badejo, cioba, vermelho-dentão, cambuba, robalo, garoupa, frade, galo, porco e pampo. Na manhã desta quinta, uma moreia também foi encontrada morta.

Os pescadores desconfiam que a  causa da mortandade esteja ligada à aparição de uma mancha  verde nas pedras da Ponta de Aratuba na quarta, 5. O mesmo material foi visto nesta quinta, sendo levado pela água para a praia.

"É uma pena ver essa situação. Desse jeito, a atividade de pesca vai ficar prejudicada na ilha", lamentou Cotia.

"Essa tartaruga que apareceu morta não foi  atingida por rede, senão apresentaria marcas. É mais grave do que pensava", acrescentou.

Tartaruga encontrada morta na praia de Aratuba (Foto: Lúcio Távora l Ag. A TARDE)
Análise
Conforme a assessoria de comunicação do Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema), técnicos do órgão foram enviados a Aratuba na manhã desta quinta.
Ainda segundo a assessoria, eles recolheram amostras da água do mar e de peixes mortos  no local. O material foi encaminhado para análise ainda na manhã desta quinta. O relatório com o resultado do exame deve ficar pronto em sete dias.
No entanto, de acordo com relatos de moradores e pescadores, os técnicos do Inema não foram vistos no local durante a manhã desta quinta.
Enterrados
Para evitar que urubus sejam atraídos pelo forte cheiro propagado pelos peixes mortos, os pescadores enterraram boa parte deles - já em avançado estado de decomposição - após  limparem o local nesta quinta. As carcaças foram depositadas em um buraco fundo na praia.
"Alguém tem que tomar uma providência, pois eu nunca vi algo assim acontecer aqui na ilha", cobrou o também pescador Jailson Sacramento, 25 anos, enquanto ajudava a enterrar os peixes.
Depois que A TARDE publicou a primeira matéria  sobre o comércio do pescado encontrado na praia de Aratuba, nesta quitna a reportagem não flagrou ninguém da comunidade procurando peixes para venda e ou consumo.
No entanto, moradores disseram à equipe do jornal ter visto dois grupos na praia pela madrugada. "Depois que me viram, cortaram caminho por um beco", disse uma pessoa que, como as demais, não quis se identificar.


Colaborou Luana Almeida*

Seguidores