22 de fevereiro de 2013

Jacutinga - Aburria jacutinga

faunaameacada_aburria_jacutinga faunaameacada_aburria_jacutinga1 faunaameacada_aburria_jacutinga2 faunaameacada_aburria_jacutinga3jpg
Fotos: Flavio Guglielmino (1), Lucas Leite - www.noticiaanimal.com.br (2), Marco A. de Freitas (3,4)
É um dos mais belos e emblemáticos endemismos da Mata Atlântica.
Espécie florestal, prefere as matas primárias de baixada e de média altitude, havendo registros até 1.000 m acima do nível do mar. Suspeita-se que possa fazer migrações altitudinais, especialmente na Serra do Mar, acompanhando a frutificação de algumas espécies de árvores. Era mais comum ao longo de cursos d´água do que no interior das florestas. Passa a maior parte do tempo nas árvores, descendo ao solo apenas para apanhar alguns frutos caídos ou para beber água. Frugívora, com uma dieta ampla, que inclui frutos do palmito (Euterpe edulis), um dos seus alimentos favoritos. Regurgita as sementes ingeridas ou as elimina com as fezes, apresentando um papel importantíssimo na dispersão de sementes nas florestas onde habita.
Discreta. Chama a atenção no final da tarde ou no amanhecer, executando barulhentos vôos territoriais, graças às modificações nas suas rêmiges primárias. A reprodução ocorre no segundo semestre, entre agosto e novembro. Seu ninho é uma plataforma simples, construída com galhos e ramos no alto das árvores. A fêmea coloca de 2 a 3 ovos de casca branca, que se torna marrom com o tempo. Os filhotes, nidífugos, acompanham os pais pela ramaria alta tão logo a plumagem esteja seca (MACHADO et al., 2008).
altMACHADO et al., 2008
GRUPO Aves
ESPÉCIE Aburria jacutinga (Spix, 1825)
NOME VULGAR Jacutinga
FATORES DE AMEAÇA Perda/degradação de habitat e caça.
BIOMA Mata Atlântica
PLANO DE AÇÃO PAN Galiformes (publicado em 2008)
CENTROS DE PESQUISA CEMAVE
UNIDADES DE CONSERVAÇÃO - PARNA de Ilha Grande² (MS/PR);
- PARNA do Iguaçu², APA de Guaraqueçaba², PE da Mata dos Godoy¹, PE das Lauráceas¹, PE da Graciosa¹, APA Guaratuba¹, RPPN Corredor do Iguaçu I¹, EE Rio dos Touros¹ (PR);
- PE do Rio Doce¹ (MG);

- PARNA de Itatiaia² (MG/RJ);

- PARNA da Serra da Bocaina² (RJ/SP);

- PE de Carlos Botelho¹, PE Intervales¹, PE Ilhabela¹, PE Ilha do Cardoso¹, PE Serra do Mar - Núcleo Caraguatatuba¹, PE Serra do Mar - Núcleo Santa Virgínia¹, PE Serra do Mar - Núcleo Cunha¹, EE de Boracéia¹ (SP);

- PE da Serra do Tabuleiro¹ (SC);

- PE do Turvo¹ (RS).
REFERÊNCIAS - ¹MACHADO, A. B. M; DRUMMOND, G. M. & PAGLIA, A. P. (eds) Livro Vermelho da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção. Volume II. 1.ed. Brasília, DF: Ministério do Meio Ambiente, 2008. 906 p.
- ²NASCIMENTO, J.L.; CAMPOS, I.B. (orgs.). Atlas da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção em Unidades de Conservação Federais. Brasília,DF: ICMBio. 276 p.

Seguidores