22 de janeiro de 2014

Cartilha orienta pequenos produtores rurais sobre adubação verde


O Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTI) disponibilizou para os pequenos produtores rurais uma cartilha que ensina como empregar as plantas da família das leguminosas como plantas adubadoras em uma técnica conhecida como adubação verde.
O adubo verde pode reduzir ou até eliminar a necessidade do uso de fertilizantes minerais nitrogenados para produção de hortaliças folhosas como a alface, coentro e cebolinha, em solo de várzea, diminuindo os custos de produção.

A publicação é denominada Leguminosas para Adubação Verde na Terra Firme e na Várzea da Amazônia Central – Um Estudo em Pequenas Propriedades Rurais em Manacapuru. Resulta de trabalhos realizados pelo pesquisador Luiz Augusto Gomes de Souza, por meio do projeto Práticas Agroflorestais para a Sustentabilidade de Sistemas de Produção Familiar na Amazônia, da Coordenação de Sociedade, Ambiente e Saúde do Inpa.

De acordo com o pesquisador, que é doutor em botânica, o agricultor amazonense ainda não conhece bem a prática e o conceito do emprego de plantas adubadoras, que é mais praticado em outras regiões do Brasil. Envolvendo agricultores das comunidades do Paraná do Supiá e do Ramal Boa Esperança, localizadas em Manacapuru (AM), foram identificadas as leguminosas (também chamadas fabáceas) mais frequentes nas áreas visitadas.

A cartilha reúne informações gerais e agronômicas sobre dez espécies de leguminosas que podem ser utilizadas como plantas adubadoras. Dentre elas estão algumas muito conhecidas pelos agricultores, como o ingá-cipó, o mata-pasto e o mulungu. Outras são menos conhecidas e a cartilha traz ilustrações sobre as espécies para auxiliar o agricultor a identificá-las no seu sítio. Leia mais.

Texto: Luciete Pedrosa – Ascom do Inpa

Seguidores