29 de novembro de 2012

Comissão de Meio Ambiente da AL-BA exige proibição na Bahia de incineração de lixo tóxico de outros Estados

A Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) solicitará ao secretário estadual de Meio Ambiente, Eugênio Spengler, que o estado não seja responsável pela incineração de resíduos tóxicos originados de outras unidades federativas. “Não podemos permitir essa prática, pois é a saúde da população que está sendo exposta à todo tipo de doença. Se São Paulo não incinera seu lixo porque a responsabilidade deve ser nossa?”, questionou o deputado Adolfo Viana (PSDB), presidente do colegiado. Em reunião realizada nesta quarta-feira (28), foi apresentado um requerimento do parlamentar Elmar Nascimento, cujo conteúdo atesta que o lixo tóxico que vem de São Paulo é incinerado em uma fábrica de cimento, na cidade de Campo Formoso. Conforme o documento, trata-se da mesma substância (pentaclorofenol e hexaclorobenzeno) enviada pela empresa Rhodia, para a Cetrel-Lumina e que por força de denúncia da Câmara de Vereadores de Camaçari teve a incineração suspensa na região. Os integrantes da comissão de Meio Ambiente decidiram que na próxima terça (4) se reunirão com Spengler para discutir o caso.

Seguidores