14 de dezembro de 2011

Zoológico de Salvador inicia atividades técnicas para reprodução de

Danielle Lopes

Visando a reprodução assistida de espécies, o Zoológico de Salvador iniciou,
este mês, a aproximação de um casal de tamanduás-bandeira
(Myrmecophagatridactyla), espécie ameaçada de extinção. Os preparativos
para esta iniciativa já vem acontecendo há dez meses quando a fêmea do Zoológico
começou a conviver com macho vindo do estado do Recife. Durante este período o
casal ocupava o mesmo recinto, porém eram mantidos em ambientes
separados.
Para o coordenador técnico do Zoológico de Salvador, Vinícius Dantas, foi preciso
aguardar a fêmea se tornar adulta para que o macho não a rejeitasse mais.
Estando no mesmo ambiente, os tamanduás eram capazes de se ver, sentir os
cheiros do parceiro, reconhecer o local, mas sempre separados alternando entre a
área verde e o cabeamento”. Ainda segundo Dantas, este processo é importante
para que ambos sintam-se confortáveis e a vontade um com o outro.
A equipe técnica do Zoológico acredita que, ainda neste verão, o casal poderá
cruzar. Durante esta estação do ano há abundância de alimentos. Para os animais
tal fartura sinaliza o melhor período de reprodução, pois filhotes bem
alimentados têm mais chances de sobreviver.
A espécie - O tamanduá-bandeira pode ser encontrado nas Américas Central e do Sul, mas
atualmente a espécie está ameaçada de extinção em todas as regiões do Brasil. No
Rio de Janeiro e Espírito Santo já foram extintos.
Medindo cerca de 2,20 metros e pesando até 45kg, o tamanduá-bandeira possui cauda e
focinhos longos e pelos grandes e grossos. Ele é capaz de comer por dia até
30mil formigas e cupins. Essa espécie é reconhecida por sua faixa diagonal preta
com bordas brancas, que se estende do peito até metade do dorso.

Seguidores