29 de novembro de 2011

Óleo que vazou na bacia de Campos está na rota de cerca de 10 mil baleias jubarte


Do UOL Notícias, em São Paulo

  • População brasileira das baleias jubarte passa justamente nesta época do ano pela costa do Rio

    População brasileira das baleias jubarte passa justamente nesta época do ano pela costa do Rio

O óleo que vazou no campo de Frade, na bacia de Campos, no Estado do Rio de Janeiro, pode prejudicar ao menos 10 mil baleias jubarte que vivem metade do ano em águas da costa brasileira.

Segundo o Instituto Baleia Jubarte, esses mamíferos chegam por volta de julho ao arquipélago de Abrolhos (BA), principal ponto de reprodução da população brasileira da espécie (existem outros seis grupos no hemisfério sul), e é justamente em novembro, quando os filhotes já estão grandes o suficiente para aguentar a jornada migratória, que as baleias partem em direção às águas geladas do Atlântico sul.

Rota de cerca de 10 mil baleias jubarte

  • Arte/UOL

“Por enquanto não tivemos nenhum registro de que alguma jubarte tenha passado pela mancha. Estamos acompanhando”, disse Márcia Engel, presidente do Instituto Baleia Jubarte.

De acordo com Márcia, as baleias viajam até a região das Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul, território de domínio britânico próximo às Ilhas Malvinas, onde se alimentam. É lá que vive o camarão krill, sua principal fonte de alimentação. “A jubarte passa metade do ano em área de reprodução e a outra metade em área de alimentação”, esclarece Márcia.

A presidente do instituto afirma que, geralmente, a baleia tende a desviar da mancha de óleo. Porém, uma vez na mancha, o petróleo pode causar sérios danos à saúde da jubarte, especialmente aos filhotes, que são mais vulneráveis.

“O que mais preocupa são os problemas respiratórios que o óleo pode causar. A baleia [que respira na superfície] acaba respirando os gases voláteis da evaporação do petróleo. Mas há ainda o risco de problemas nos olhos e na pele.”

O levantamento oficial do número de baleias da população jubarte brasileira será divulgado no início do ano que vem pelo instituto, mas a estimativa é que existam de 10 mil a 14 mil jubartes no Brasil. No entanto, não são apenas as jubarte que estão em risco devido à mancha de óleo. De acordo com Márcia, na região da bacia de Campos existem ao menos outras 20 espécies de cetáceos, além de tartarugas e aves marinhas.

Vazamento de petróleo na bacia de Campos

Foto 6 de 17 - 18.nov.2011 - Vista aérea do trabalho de contenção do petróleo que vazou de uma plataforma da Chevron, na bacia de Campos, há dez dias Mais Márcia Foletto/Agência O Globo

O vazamento

O acidente na bacia de Campos se iniciou no dia 8 deste mês, mas as informações sobre o volume vazado ainda são estimadas.

De acordo com a ANP (Agência Nacional do Petróleo), teriam sido pelo menos 3.000 barris de petróleo derramados. Já a Chevron, empresa responsável fala em 2.400 barris. Na quinta-feira, a Chevron anunciou que o vazamento foi controlado e que vai lacrar o poço em dezembro.

Os danos causados só serão mensurados depois de uma análise de dano ambiental a ser concluída apenas com o fim do derrame, segundo informações do presidente do Ibama.

Seguidores