31 de maio de 2014

MMA financia inclusão de catadores em seis sedes da Copa do Mundo - SALVADOR FORA!!!

MMA financia inclusão de catadores em seis sedes da Copa do Mundo


 
Paulo de Araújo/MMA Catadores: estímulo para limpar a festa 
 
 Catadores: estímulo para limpar a festa
Todo o material recolhido no entorno dos estádios e nas fan fests será destinado às cooperativas de reciclagem

RAFAELA RIBEIRO

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) abriu linha de apoio às cidades-sede da Copa do Mundo para a inclusão de catadores de material reciclável e seis localidades foram contempladas com R$ 2,3 milhões. Com o investimento, estes pequenos empreendedores realizarão a coleta seletiva no entorno das arenas onde serão disputados os jogos e em festas oficiais para as torcidas. Todo o material recolhido será destinado às cooperativas de reciclagem.

Nas seis cidades com projetos aprovados, Belo Horizonte, São Paulo, Fortaleza, Curitiba, Manaus e Natal, os catadores estão sendo capacitados e serão remunerados pelo trabalho. “É uma inovação porque habitualmente o catador não recebe pelo serviço de coleta e sim pelo material vendido”, explica o gerente de Projeto do Ministério do Meio Ambiente, Eduardo Rocha. “Agora ele vai ter duas fontes de renda: será remunerado pelo serviço prestado e também pela venda do material recolhido que será levado para as cooperativas”.

PROJETO PRÓPRIO

Cada cidade elaborou seu projeto de acordo com as suas necessidades, seguindo as diretrizes do MMA. “Os gestores ficaram bem livres para elaborar os projetos”, acrescenta Rocha. “Cada um colocou o que realmente quis, o que realmente é adequado para aquela localidade e todos foram atendidos plenamente”. Os recursos serão utilizados para a capacitação, aquisição de uniformes e equipamentos de proteção individual, logística do material coletado, além da comunicação e divulgação das ações de coleta seletiva. “Esperamos que todo esse trabalho de coleta seletiva realizado na Copa, tanto dentro das arenas quanto no entorno e nas fan fests, possa deixar bons frutos e despertar na população a percepção de que esse é o momento de mudarmos os nossos hábitos com relação aos resíduos sólidos”, salienta.

FONTE: MMA.GOV.BR

Seguidores