21 de janeiro de 2013

ICMBio apresenta cartilha para pesquisas com primatas

 “Protocolos para coleta de dados sobre primatas em unidades de conservação da Amazônia” é o nome da cartilha lançada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), no final de 2012. As informações incluídas na publicação foram baseadas nas experiências do projeto Primatas em Unidades de Conservação da Amazônia e fundamentadas na bibliografia existente sobre o tema. Estes protocolos tratam desde os procedimentos relativos à coleta de material biológico, quanto a práticas de censo por transecções lineares, passando por entrevistas em comunidades e registros casuais de primatas na natureza e em cativeiro.
Segundo Marcelo Vidal, analista ambiental do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Socio-biodiversidade Associada a Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT) do ICMBio e organizador da cartilha, a publicação foi elaborada para atuar como um guia de procedimentos que poderá ser utilizado por biólogos, médicos veterinários e outros profissionais que realizam pesquisas e projetos com interface na primatologia, contribuindo assim para a geração de informações científicas sobre a diversidade dos primatas do bioma amazônico, em especial das suas unidades de conservação.
Para Liliam Pinto e Leandro Jerusalinsky, respectivos coordenadores do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Biodiversidade Amazônica (CEPAM/ICMBio) e Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Primatas Brasileiros (CPB/ICMBio) a cartilha é uma ferramenta que pode potencializar o desenvolvimento de pesquisadores e pesquisas em primatologia no ICMBio e em outras instituições, auxiliando assim no aumento do conhecimento sobre espécies ameaçadas e deficientes em dados.
O projeto Primatas em Unidades de Conservação da Amazônia é desenvolvido pelo CEPAM/ICMBio, CPB/ICMBio, as Florestas Nacionais de Tefé (AM) e do Purus (AM), Parques Nacionais do Viruá (RR) e do Jamanxim (PA), Reservas Biológicas do Lago Piratuba (AP) e do Guaporé (RO), todas unidades de conservação sob gestão do ICMBio. Além das unidades e dos centros de pesquisa, o Projeto conta também com a parceria do Museu Paraense Emílio Goeldi e da Wildlife Conservation Society.
Para acessar a cartilha, clique aqui.

Comunicação ICMBio


Seguidores