21 de junho de 2012

PARNA ABROLHOS

Voluntários ajudam a proteger Abrolhos 

O Parque Nacional (Parna) Marinho dos Abrolhos, localizado no litoral sul da Bahia, seleciona todos os meses, desde agosto do ano passado, voluntários para serviços nas atividades de apoio ao uso público executadas no Centro de Visitantes e no Arquipélago dos Abrolhos. Para concorrer a uma vaga, é necessário ser maior de 18 anos e ter interesse em contribuir nas ações de educação e conservação ambiental.

O tempo de duração do voluntariado varia entre 15 e 30 dias e conta com a participação,  principalmente, de estudantes de nível médio e superior. Em 2011, além de estudantes da região de Caravelas, que são alunos do Curso Técnico em Guia de Turismo, foram escolhidos jovens de instituições de pesquisa de estados como Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.    
O trabalho dos voluntários consiste basicamente em apoiar os monitores ambientais do parque nacional. Eles recebem uma capacitação prévia com as informações necessárias para que o trabalho seja desenvolvido e seja atingido os melhores resultados.
Estudantes do curso técnico em guia
Os voluntários que desempenham atividades no Centro de Visitantes geralmente são moradores locais que estão fazendo o Curso Técnico em Guia de Turismo no Colégio Estadual Polivalente de Caravelas. O seu trabalho está voltado para a recepção de escolas e visitantes que buscam informações na sede da unidade.
Além de terem à sua disposição uma mostra de banners com informações sobre a unidade de conservação e uma réplica de uma baleia Jubarte em tamanho natural, eles conduzem os visitantes por uma trilha ecológica em ambiente de restinga e manguezal.
No Arquipélago a principal atividade é a recepção aos barcos de turismo e a condução dos visitantes pela trilha ecológica da Ilha Siriba, onde os turistas podem observar a paisagem, fauna e flora local, mas os voluntários também participam de atividades de educação ambiental e prestam apoio aos pesquisadores que realizam pesquisas no Parque.
“Mergulhei em lugares lindos”
Mariana Aguiar, aluna do mestrado em Ecologia e Evolução da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), foi para o arquipélago estudar os bancos de fanerógamas marinhas (grama marinha) e chamou atenção para a oportunidade de participar do voluntariado.
“Mergulhei e andei por lugares lindos, além de ter conhecido pessoas novas e interessantes, como os moradores da ilha, os turistas e pesquisadores que passaram pela base do ICMBio. Todos os monitores ambientais foram simpáticos e prestativos e me ajudaram sempre quando precisei”, contou ela.
A professora de ciências Ellen Prates Noronha, da rede pública de Alcobaça, que passou 25 dias no Arquipélago, destacou a experiência. “É uma oportunidade ímpar, replete de situações que fomentam nossa vivência como educadora e como educanda, pois nos é oportunizado grandes momentos de aprendizagem”.
O Programa de Voluntariado em Unidades de Conservação foi implementado pelo ICMBio em 2009 a partir da Instrução Normativa nº 03/2009. O objetivo é incentivar a participação da sociedade e aproximá-la da gestão das áreas protegidas e da conservação da biodiversidade por meio do trabalho voluntário em unidades de conservação federal e centros de pesquisa e conservação.
Comunicação ICMBio
(61) 3441-9280

Seguidores