26 de janeiro de 2011

Baía de Todos-os-Santos deixará de receber efluentes industriais


Os efluentes industriais gerados por empresas do Polo Industrial de Camaçari, antes despejados na Baía de Todos-os-Santos, passam a ter um novo destino com a assinatura do Memorando de Entendimento para a construção de novo emissário de efluentes.

O acordo entre o Governo do Estado, a Cetrel e empresas do Polo, Dow Química, Petrobras e Proquigel foi firmado nesta segunda-feira (24), na sede Governadoria, no Centro Administrativo, em Salvador.Quando estiver pronto, em 1 ano e meio, o novo equipamento vai transportar três mil metros cúbicos de efluentes para a estação de tratamento da Cetrel (Central de Tratamento de Efluentes Liquidos), em Camaçari.

Efluente Zero

De acordo com o presidente da Cetrel, Ney Silva, os efluentes industriais serão previamente tratados e conduzidos para disposição oceânica. A ação faz parte do projeto ‘Efluente Zero’e serão investidos cerca de R$ 200 milhões na obra, que tem como principal objetivo a preservação da maior baía da costa brasileira.

Ele acredita que a iniciativa vá contribuir com o desenvolvimento sustentável das atividades industriais na região. A Cetrel será responsável pela prestação de serviços de coleta, transporte por dutovia, tratamento e disposição final dos dejetos gerados pelas empresas.

Com suspensão do lançamento de efluentes na Baía de Todos-os-Santos, os moradores e comunidades próximas à baía também serão beneficiados.
Segundo o secretário do Meio Ambiente, Eugênio Spengler, o governo estadual está preocupado com a preservação da Baía de Todos-os-Santos, que faz parte de Área de Proteção Ambiental (APA) e abrange 13 municípios, incluindo Salvador.

“A conservação da Baía de Todos-os-Santos contribui com a melhoria da qualidade ambiental. Com isso, também beneficia o lazer nas praias e as atividades pesqueiras. De forma equilibrada, vamos garantir o uso da baía para o desenvolvimento das atividades econômicas”, disse.

Copa Verde

Com a construção do emissário de efluentes, a Bahia cumpre mais uma das exigências da Fifa para a Copa 2014, que é a preservação ambiental. O secretário extraordinário para Assuntos da Copa, Ney Campello, afirma que além do Efluente Zero, o governo está investindo em outros projetos de sustentabilidade ambiental, como o de monitoramento do ar por meio de estações de tratamento.

Fonte: Agecom

Seguidores