5 de janeiro de 2012

PMs são capacitados para identificar e combater crimes ambientais na Bahia




Durante dois meses, 17 policiais militares foram capacitados em diferentes biomas e receberam orientações sobre danos ambientais no 1º Curso de Policiamento Ambiental, promovido pela Polícia Militar da Bahia, por meio da Companhia de Polícia de Proteção Ambiental (Coppa).

Oriundos das cidades de Juazeiro, Feira de Santana, Barreiras, Vitória da Conquista e Salvador, os PMs realizaram atividades que envolveram manejo de animais silvestres, noções de sobrevivência em diferentes biomas do estado e noções de cartografia e fiscalização do meio ambiente.

A soldado Gislene Ramos disse que agora se sente mais preparada para lidar com questões ambientais junto à comunidade. “Manter animal silvestre em cativeiro está entre os casos mais comuns que identifico no meu dia a dia. Isso é proibido e vou passar a instruir as pessoas a destinar os bichos aos órgãos competentes, além de ensiná-las a lidar com os animais que são encontrados casualmente na rua, a exemplo de cobras e iguanas”.

Segundo o coordenador do curso, capitão Moisés Brandão, foram 260 horas-aula. “Eles conheceram os métodos de identificação dos crimes ambientais e a adoção de estratégias preventivas em casos envolvendo fauna, flora, pesca, recursos hídricos, transporte de produtos perigosos, extração mineral, avaliação de impactos ambientais, e foram capacitados para agir em todo o estado”.

Na avaliação ambiental, última atividade prática do curso, os PMs fizeram o reconhecimento dos danos ambientais no Parque de Pituaçu. “Aqui, o objetivo era justamente identificar irregularidades, e encontramos algumas, como uso de unidade de conservação, pesca e retirada de frutos, além da instalação de moradias em unidade de conservação de proteção integral”, afirmou o soldado Marcos Henrique Cardoso.

Nesta quinta-feira (29), acontece a solenidade de formatura da turma, às 9h, no auditório do Instituto Anísio Teixeira (IAT), na Paralela.

Seguidores