2 de junho de 2015

Novo presidente no ICMBIO

TEXTO DA Redaçãojornalismo@portalamazonia.com
Cláudio Carrera Maretti assume a presidência do ICMBio
Gestor ambiental trabalha com áreas protegidas e manejo do meio ambiente e de conservação há mais de 30 anos

BRASÍLIA - O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) está com novo presidente. Cláudio Carrera Maretti tomou posse no dia 21 de maio de 2015, na sede da autarquia, em Brasília. Autarquia criada em 2007, o ICMBio é responsável pela gestão de 320 Unidades de Conservação federais.
Gestor ambiental, Maretti substitui Roberto Vizentin. Ele trabalha com áreas protegidas e manejo do meio ambiente e de conservação há mais de 30 anos. Formado como geólogo em 1981, concluiu mestrado em Engenharia Geotécnica em 1990 (zoneamento da Região Estuarino-Lagunar de Iguape e Cananéia) e doutorado em Geografia Humana em 2002 (gestão territorial comunitária no Arquipélago dos Bijagós, África Ocidental).
Seus trabalhos se concentraram no Brasil (zona costeira, Mata Atlântica e Amazônia), na América Latina (Galápagos e Pan-Amazônia) e na África Ocidental (arquipélago dos Bijagós e zona costeira da Guiné Bissau). É membro de Comissões da UICN, inclusive da Comissão Mundial de Áreas Protegidas, da qual foi vice-presidente regional, de 1997 a 2004, e ponto focal para o Brasil.
Durante a cerimônia de posse, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, elogiou a renomada trajetória profissional de mais de 30 anos de Maretti na área de conservação de áreas protegidas e destacou as prioridades de gestão ao novo presidente. “Precisamos fazer uma aliança estratégica para dar visibilidade à biodiversidade”, disse Izabella, referindo-se ao trabalho que deve ser integrado com Ibama e as Secretarias de Biodiversidade e Florestas e Extrativismo e Desenvolvimento Rural Sustentável do Ministério do Meio Ambiente (MMA). Ela sugeriu que o novo presidente busque recursos financeiros fora do orçamento da União, por meio de projetos junto a órgãos internacionais de financiamento ambiental.
Missão
“Acredito que posso contribuir para essa missão, mas só com o apoio da casa e da sociedade. Sozinho, não farei nada”, declarou Maretti. “Minha decisão, ao aceitar o convite, não foi racional. Meu corpo e minha alma já tinham aceitado. Parece que tudo que fiz até agora foi me preparar para chegar até aqui”.
O ICMBio, autarquia criada em 2007, é responsável pela gestão de 320 Unidades de Conservação federais, pelo reconhecimento de 647 Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs), que integram o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC), e por 14 Centros Nacionais de Pesquisa e Conservação. Estes tiveram participação estratégica no maior diagnóstico nacional de espécies ameaçadas da fauna, coordenado pelo órgão.

Seguidores